Colesterol HDL, LDL, VLDL, triglicerídeos… Qual é bom ? Qual é ruim ? Entenda tudo.

Colesterol HDL, LDL, VLDL, triglicerídeos… Qual é bom ? Qual é ruim ? Entenda tudo.

Muito se ouve falar de sobre o colesterol bom e ruim, pouco se explica sobre o seu real significado.

O colesterol é uma substância gordurosa encontrada em todas as células no nosso corpo. Ele é essencial para a formação das membranas celulares, para a síntese dos hormônios esteroidais como a testosterona, estrogênio, cortisol e outros (leia sobre a supra-renal para mais informações), para a produção da bile, para digestão de alimentos gordurosos, para formação da mielina (uma bainha que cobre os nervos), para metabolização de algumas vitaminas (A, D, E e K) etc…

O colesterol tem 2 origens: a endógena, ou seja, produzido pelo nosso próprio corpo, principalmente pelo fígado, e a exógena, adquirida através dos alimentos.

Como se trata de uma substância gordurosa, ela não se dissolve no sangue. É igual a gotas de óleo na água. Portanto, para viajar através da corrente sanguínea e alcançar os tecidos periféricos, o colesterol precisa de um transportador. Essa função cabe as lipoproteínas que são produzidas no fígado. As principais são:

- VLDL (Very low-density lipoprotein)
- LDL (Low-density lipoprotein)
- HDL ( High-density lipoprotein)

O VLDL transporta triglicerídeos e um pouco de colesterol. O LDL transporta colesterol e um pouco de triglicerídeos. O HDL faz o caminho inverso, tira colesterol dos tecidos e devolve para o fígado que vai excretá-lo nos intestinos.

Elevadas concentrações de VLDL e o LDL estão associados a deposição de gordura na parede dos vasos, levando a formação de placas. Esse processo é chamado de ateroesclerose. Essas placas de gordura diminuem a luz dos vasos. Também causam lesão direta na parede, diminuindo a elasticidade das artérias. Tudo isso favorece a obstrução do fluxo de sangue e do aporte de oxigênio e nutrientes aos tecidos. O resultado final é o infarto, o AVE, a isquemia dos membros etc…

Enquanto que o LDL e o VLDL levam colesterol para as células e facilitam a deposição de gordura nos vasos, o HDL faz o inverso, promove a retirada do excesso de colesterol, inclusive das placas arteriais.

Por isso, denominamos o HDL como colesterol bom, e o VLDL e o LDL como colesterol ruim.

A produção as lipoproteínas são reguladas pelos níveis de colesterol. Colesterol derivado de gorduras saturadas e gordura trans favorecem a produção de LDL enquanto que gordura insaturada encontrada no azeite, peixes, amêndoas, promove a produção do HDL.

Há muito tempo deixamos de valorizar o valor do colesterol total ( HDL + LDL + VLDL) e passamos a dar mais atenção aos valores individuais de HDL e LDL.

Veja esses exemplos:
Paciente 1 – LDL 150, HDL 20 e VLDL 20 = colesterol total de 190
Paciente 2 – LDL 100, HDL 65 e VDL 25 = colesterol total de 190

Pelo que foi explicado até agora, não há dúvidas que o paciente 1 apresenta mais riscos de aterosclerose que o paciente 2 , apesar de terem o mesmo nível de colesterol total.

Então quais são os valores de HLD e LDL normais e quais são perigosos?

LDL
Menor que 100 – Ótimo
Entre 101 e 130 – Normal
Entre 131 e 160 – Normal/alto
Entre 161 e 190 – Alto
Maior que 190 – Muito alto

HDL
Menor que 40 – Baixo (ruim)
Entre 41 e 60 – Normal
Maior que 60 – Alto (ótimo)

Uma dieta rica em gorduras insaturadas e pobres em saturadas está indicada para todas as pessoas. O aumento do colesterol LDL está relacionado a fatores genéticos e alimentares. Uma vez que 75% do colesterol é endógeno e apenas 25% vem da alimentação, algumas pessoas não conseguem normalizar os níveis de LDL apenas com dieta e precisam tomar medicamentos. Exercicios físicos também ajudam a elevar o HDL e diminuir o LDL.


Imagem: http://www.saude.df.gov.br

A decisão de quando começar os remédios depende dos valores de LDL e HDL , mas também da presença de outros fatores de risco para doença cardiovascular, nomeadamente:

- Cigarro
- Hipertensão
- Diabetes
- Insuficiência renal crônica
-
Obesidade
- Sindrome metabólica
- Idade maior que 45 anos.

Quanto mais fatores de risco você tiver, mais baixo deve ser seu colesterol. A grosso modo, podemos resumir da seguinte maneira os alvos:

1 fator de risco – Colesterol LDL menor que 160
2 ou mais fatores de risco – Colesterol LDL menor que 130
Pacientes com alto risco ou com passado de doença coronariana – Colesterol LDL menor que 100

Trabalhos mais recentes começam a sugerir um LDL menor que 80 para pacientes de alto risco. HDL muito baixo também é considerado fator de risco, mesmo com LDL não muito elevado. Já se pode indicar tratamento apenas baseado no seu valor.
…………………………………………………………………….
Leia também:
-
SINTOMAS DO INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO E ANGINA
- GASES INTESTINAIS: O que é o pum ? O que é o arroto?
- INFARTO EM JOVENS
- OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA
- AVE / AVC (acidente vascular encefálico/cerebral)
- SAL E HIPERTENSÃO
- DIABETES
- HIPERTENSÃO – Quando tratar?
- LIPOASPIRAÇÃO E A FARSA DA HIDROLIPO, MINI LIPO E LIPO LIGHT
………………………………………………………………………

Postado por Dr. Dr. PEDRO SARAIVA PINHEIRO às 09:13  

Marcadores: , , , , , , ,

About these ads
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s